Logotipo do Dia da Música

Roberto Moreno

MPB, Samba

Rio de Janeiro, RJ

Aceita tocar no país

Integrantes

  • Baixo - Baixo Acústico
  • Violão - Violão
  • Percussão - Percussão
  • Piano/Teclado - Teclado

Onde já tocou

Nascido no Rio de Janeiro em 1984, traz na bagagem a essência das rodas de samba cariocas e a experiência de 4 anos vividos na França, com novas descobertas musicais e apresentações por toda a Europa.

Em julho de 2010, fez uma imersão musical de um mês em Cabo Verde, pesquisando ritmos e a utilização do cavaquinho na música tradicional local. 

De volta ao Rio em 2011, dividiu palco nos projetos em que participou com importantes nomes do cenário musical como Wilson Moreira, Martinho da Vila, Roberta Sá, Mart'nália, Mariene de Castro, Monarco, entre outros.

Integrou o CD Todo Dia é Dia de Samba, que reúne 38 compositores da nova geração do samba carioca. 
 
Com o Samba do Mercado, lançou o primeiro CD do grupo, em janeiro de 2017. 

Moreno acaba de lançar seu primeiro disco, Retrato, que conta com 11 faixas autorais, participação de músicos renomados, do Mestre Wilson Moreira e arranjos de Rafael Mallmith, Guto Wirtti e Rafael dos Anjos, que também assina com Moreno a produção do disco.  

Em setembro e outubro de 2017, esteve em turnê com o lançamento do disco na Europa, se apresentando na França, Espanha, Holanda e Bélgica. 

É um dos idealizadores dos projetos Pôr do Santa e Cadê Ioiô?, que reúnem artistas da nova cena do samba carioca.

Site do artista

Biografia

Retrato de ousadia e elegância

A primeira obra de Roberto Moreno é uma ousadia. Iniciado musicalmente nos pagodes da família em Anchieta e graduado nas rodas do Bip-bip em Copacabana, Moreno se firmou nos últimos anos como um dos mais autênticos cavaquinistas dos sambas que embalam a noite carioca. Agora, ele opta por dar a seu trabalho de estreia uma erudição instrumental que faz de Retrato um desafio ao senso comum.

O cavaquinista e intérprete decidiu fugir do padronizado sistema violão-cavaco-pandeiro-percussão e cedeu a frente do palco ora ao piano, ora ao contrabaixo acústico ou à sanfona - deixando os instrumentos inerentes ao samba como guardiães recatados da grandeza de suas composições.

O resultado é uma obra original e elegante, com uma riqueza harmônica atípica em tempos de produção industrial na música. Retrato se torna, nesse cenário, um verdadeiro oásis.

O encontro das influências sambísticas das zonas Norte e Sul do Rio de Janeiro, no entanto, não explicam este álbum. Retrato é fruto de uma trajetória mais complexa. Trata-se do resultado de uma vivência de quatro anos na França, onde o samba se misturava ao jazz e à música africana, e de uma densa imersão musical em Cabo Verde. Foi um dia após deixar a terra da cantora Mayra Andrade que Moreno compôs sua primeira música, "Coração Transparente".

O trabalho autoral de estreia de Roberto Moreno como compositor foi presenteado pela generosidade de Wilson Moreira – mestre e, agora, também parceiro do cavaquinista. Em "Canoeiro", Moreira, do alto de seus 80 anos recém-completados, empresta sua história e dá bênção à canção de Moreno e Sérgio Gramático, na gravação que pode ser considerada a credencial definitiva para afirmarmos que Retrato não se trata de uma obra qualquer.

Paulo Celso Pereira, jornalista

Ver mais

Shows

Ainda não há shows confirmados ou em negociação

Ver mais

Playlist do artista

Melhor Castigo

Amor de Anteontem

Coração Transparente

Natureza

Povo de Arerê

Ver mais
×

Baixe o aplicativo do DDM

Com o aplicativo do evento fica mais fácil de acompanhar os shows próximos a você.

Dúvidas/FAQ