Logotipo do Dia da Música

Dia da Música apresenta mais de 70 shows no Rio de Janeiro

Além da programação escolhidas Conselho Curador, na Glória, outros 24 palcos participam do festival em todo estado

A terceira edição do Dia da Música acontece no dia 24 de junho com mais de 70 shows em todo o estado do Rio de Janeiro. A partir das 14h, a Praça Luís de Camões, na Glória, é palco para as atrações selecionadas pelo Conselho Curador do Dia da Música 2017.

A tarde começa com o rock direto e irônico do trio paraense Molho Negro e segue pela delicadeza confessional da capixaba Ana Muller até o pop torto de versos afiados das Chicas. Ao cair do sol, o saxofonista Esdras Nogueira faz um passeio instrumental pelo ska, samba, caribó e música latina, em um baile tropical que continua na apresentação do grupo Do Amor.

Integrantes do Coletivo BT_PGDÃO (lê-se Bota Pagodão), Som Peba + Bobby DJoy e Jeza da Pedra reprocessam ritmos populares baianos e música eletrônica e mostram porque suas festas são tão disputadas em Salvador. Linn da Quebrada fecha o palco com sua performance que transpassa gêneros e definições.

 

CIRCUITO APOIADO

Outros cinco palcos na capital receberam apoio do Dia da Música e promovem shows gratuitos em locais importantes para a cena de música autoral do Rio de Janeiro.

O selo Abraxas faz palco dedicado ao rock instrumental no clássico Teatro Odisseia, a partir das 17h30, com apresentações de Aura, Monstro Amigo e Anjo Gabriel. Ainda na Lapa, a partir das 20h, o Bar Semente reúne o live PA experiente baterista e DJ Marcelo Vig, a "mestiçagem musical" de Mihay e a eletrônica brasileira de Raquel Coutinho.

Organizado pelo selo feminista homônimo, o Efusiva Fest começa às 18h no Motim e conta com com oficinas, debates, exibição de vídeos e shows de artistas mulheres: Drugged Doll, Alambradas, Mari Romano e In Venus. Também a partir das 18h, o Escritório faz o seu já tradicional “fechamento” na rua da Constituição, com o rock alternativo da Coronel Soares, o blues rock do McGee and The Lost Hope, o post-rock da MOS e o garage visceral da Giallos.

Na Audio Rebel, em Botafogo, a partir das 20h, Thiago Nassif transpõe elementos das artes visuais para colagens sonoras eletrônicas criando um interessante contraste com o hardcore do Plastic Fire, que se apresenta às 21h.

 

ALÉM DA CAPITAL

Pelos palcos do Dia da Música, é possível ver a emergência tanto do rock como da música brasileira na Baixada Fluminense. Em Duque de Caxias, o Rock na Biblioteca traz as bandas Átila & A TrupEvoé, Corcel Mágico, LaVille, Traqitana, Caosbanal, Taturana de Aço e Senhor Kalota. O gênero também aparece em Mesquita, onde Qu4rto Teto, Reduto e Bogotah fazem o line up do Sunday Rock. São Gonçalo sedia o Rock na Pista, com apresentações de Roterdan, Senhor Kalota, Frogslake, Drenna e Bogotah.

As diversas possibilidades das sonoridades brasileiras aparecem na Feira do Troca Troca, em Belford Roxo, com as bandas The Zacatto, Gente Estranha no Jardim, Hero-Beat Jack e o cantor Giancarlo Borba. Uma combinação similar pode ser vista no palco Coelhão, em São João do Meriti, com shows de Hollywood Mantra, João Azevedo, Gente e Gente Estranha no Jardim. Novo point de samba e chorinho, o Cultural Bar de Nova Iguaçu reúne o Grupo Chorando de Rir, Celsinho Steve, Átila & A TrupEvoé, Bico Doce e o Samba da Siriguela, Marvin Maciel, Multiversos e Marcelo Peregrino.

O circuito do Dia da Música no Rio de Janeiro abarca ainda palcos em Cabo Frio, Nova Friburgo e Vassouras. Em Cabo Frio, o festival de rua Guerrafest tem oito shows de rock: Primu Pobri, de Osaco (SP), A Última Sessão, Elefante Só, Pilfer, SuperEGO, Leonardo Nascimento Blues Band e Christiano Guerra Band. O Teatro Municipal Laércio Rangel Ventura, em Nova Friburgo, tem uma programação diversificada, que vai pela música de câmara do Quarteto de Saxofones Quartessência, passando pela MPB experimental do argelino Yassine Lagraf e pela engajada mistura de ritmos brasileiros da Banda DSD, chegando aos roqueiros Profusão Sonora. Por fim, mais rock'n'roll em Vassouras, com shows de Alfaiate Franz, New Millennium, Nuclei, Skiva, CRIA, Folks, Humanoids e Comboio Calibre no projeto Clave Apresenta.

 

BANDAS TRADICIONAIS

A terceira edição do Dia da Música conta ainda com apresentações de 10 bandas tradicionais contempladas com o Prêmio Especial Banda Larga. De tradição renascentista, algumas delas acumulam mais de 100 anos de história e contribuem até hoje para a formação de novas gerações de músicos, estimulando a prática de um instrumento e a composição autoral.

Selecionadas a partir das edições anteriores do Banda Larga (Programa de Atualização para Bandas de Música do Estado do Rio de Janeiro, realizado pela Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro entre 2009 e 2011 com cerca de 90 bandas), elas se apresentam nos municípios de Nova Friburgo, São Gonçalo, Quatis, Laje do Muriaé, Miracema, Barra Mansa, Santa Maria Madalena, Campos dos Goytacazes e Sumidouro.

Circuito não apoiado

O Palco do Coletivo Machina se propõe a mostrar bandas da cena stoner nacional com shows de Lunares, Blind Horse e Son of a Witch.

×

Baixe o aplicativo do DDM

Com o aplicativo do evento fica mais fácil de acompanhar os shows próximos a você.

Dúvidas/FAQ