Logotipo do Dia da Música

Agua Viva

Jazz, MPB, World Music

Rio de Janeiro, RJ

Aceita tocar na própria cidade

Integrantes

  • Aline Gonçalves -
  • Felipe Cotta -
  • João Bitencourt -
  • Luciano Camara -
  • Marcela Velon -
  • Mayo Pamplona -
  • Yuri Villar -

Site do artista

Biografia

Formado em 2006, o grupo "Água Viva" surgiu na cidade do Rio de Janeiro (RJ) como laboratório de sons aberto a influências variadas na construção de obras musicais que misturam MPB, jazz, ritmos latinos e música instrumental. Os sete músicos que o integram tem formações distintas, passando pela música clássica até a música andina. A maioria se conheceu quando integrou a "Itiberê Orquestra Família", de onde saiu o grupo para desenvolver um trabalho de cunho autoral.

Todos os integrantes são compositores e o repertório do Água Viva se faz com músicas inéditas e algumas releituras, considerando a música como um espaço inesgotável de criação e parceria. Outra proposta do trabalho realizado é a participação indiscriminada dos integrantes do grupo em todos os arranjos, que surgem a partir de numa escuta ativa ou flutuante das obras, mas sempre atenta às diversas sutilezas e necessidades pedidas pela própria composição. Um incessante – e instigante - trabalho em progresso.

Entre temas instrumentais, o som do grupo vai se misturando num trabalho árduo que se justifica numa música de personalidade própria - marca registrada das melodias que compõem o seu primeiro álbum, “Mundo ao Revés”. Sem tratar de temas específicos, as músicas incitam o público a buscar a visualidade através das melodias, daí porque o Grupo Água Viva atua como um mediador entre a música e a imagem, atribuindo ao ouvinte o papel de coautor e fazendo com que o resultado sirva como trilha sonora no vasto campo do sonho individual e da criatividade artística.

REALIZAÇÕES

O Grupo Água Viva lançou seu primeiro disco "Mundo ao revés" em 2011, com participações de Itiberê Zwarg e Bibi Ferreira, recebendo elogios de nomes como Airto Moreira, Sérgio Santos, Gilson Peranzzetta e Clarice Assad. Viajou para Argentina, tocando no Festival de La Musica de La Plata de 2008 e na casa de shows Notorious, em Buenos Aires; e para Mercedes (Uruguai), tocando no Encuentro Internacional de Músicos Jazz a La Calle, em 2009 e 2013, com enorme sucesso. Além disso, tocaram no Festival Savassi Jazz & Lounge 2011 (MG) e fizeram uma turnê em conjunto com o Grupo RAMO em Belo Horizonte e Itabirito em 2010.
Em 2009 o grupo compôs a trilha sonora do espetáculo Passarinho à Toa, da Companhia teatral Tapetes Contadores de Histórias, sobre a obra do poeta Manoel de Barros, apresentado no projeto Contos Brasileiros, nos CCBB’s Rio de Janeiro e Brasília (dez/2009, jan e fev/2010), e na Caixa Cultural Rio de Janeiro (jun/2010).

PRÊMIOS

Premiação dupla no 4° Festival das Rádios MEC e Nacional, em 2012: Com a música “Frevendo Água”, ganharam a categoria “Melhor Intérprete Instrumental” e “Melhor Arranjo”.
O disco “Mundo ao Revés” está entre os melhores do ano de 2011 segundo o site Embrulhador (www.embrulhador.com). A seleção contou com discos de grandes nomes da música, entre eles: Chico Buarque, Danilo Caymmi, Arlindo Cruz, Antônio Adolfo, Seu Jorge, etc. (http://bit.ly/100b2011) Em 2007, o grupo recebeu o Prêmio Tápias de Música, pelas composições e desempenho musical, e seu pianista, João Bittencourt ganhou prêmio de melhor instrumentista.

INFLUÊNCIAS

Todos os músicos do Água Viva foram integrantes da Itiberê Orquestra Família ou da Oficina de Música Universal de Itiberê Zwarg, o que traz ao grupo toda a bagagem da Música Universal, linguagem musical criada por Hermeto Pascoal e difundida por diversos músicos e grupos, principalmente por Itiberê Zwarg, membro do Hermeto Pascoal e Grupo ha mais de 30 anos. Dessa experiência vem a forma de trabalho do grupo, com uma grande carga de ensaios, que são realizados não só pra aprimorar a execução das músicas, mas também para que os músicos se conheçam mais profundamente, desenvolvam sua comunicação através da musica e para que sejam estudados os pequenos detalhes de cada peça, assim como novos caminhos harmônicos, rítmicos e interpretativos. Nas palavras de Itiberê desenvolver o “tocar junto”, a interação e intimidade musical.
Além dessa rica influência musical em comum, que causou a formação do grupo, individualmente os músicos já fizeram ou fazem parte de grupos musicais de diversas vertentes: choro, música latina, flamenco, jazz, samba, além de atuarem em musicais teatrais, sendo, inclusive, compositores de trilhas sonoras de filmes e peças.

Ver mais

Shows

Ainda não há shows confirmados ou em negociação

Ver mais

Playlist do artista

Leve e Dr Cornelius

Airá

Dona Anita

Carta à Saudade

Vigília

Choro Lindeiro

Frevendo Água

João o Andarilho

Marulho

Em todos os sentidos

Ver mais
×

Baixe o aplicativo do DDM

Com o aplicativo do evento fica mais fácil de acompanhar os shows próximos a você.

Dúvidas/FAQ