Logotipo do Dia da Música

Sociedade Musical Sete de setembro

Instrumental

Miracema, RJ

Aceita tocar na própria cidade

Integrantes

  • Gustavo machado, sábita, Dynner, Henrique thomas,Roberto ramos, Felipe Brito, Daniel Prado, Diego Prado, Maxwel arantes, Felipe Azevedo, Gabriel Silva, Sergio Pereira, Gil Esterlin, Izaías, rodolfo lacerda, Diego Santiago, Hedson Ribeiro, Daniel martins, Alexandre germino, Fernanda Costa, Maxilian Arantes, Maraysa Rybeiro, Thays Souza,Rayra Vitória, Wilsinara Fernandes, Caio Gurgel, Bruna Raimundo, Carlos Eden, Guilherme Nascif, Manuelle, Presidente.: Hercules Prado, Maestro.:Renan Soares. - instrumentos de sopro, percurssão.

Onde já tocou

Teatro João Caetano - Rio de Janeiro , Apresentações festivas e folcloricas do Município e encontros de bandas, desfiles cívicos, apresentações escolares, etc.... em Cidades do eixo Rio, Minas e Espírito santo; Etc.

Site do artista

Biografia

BANDA SETE – HISTÓRIA Por: Marcelino Tostes (Publicado no Grupo em 25-05-2006). CRONOLOGIA 15/11/1896 – Fundada a Sociedade Musical XV de Novembro, por Francisco Cardoso e o Professor Antonio Firmino de Carvalho, com a adesão do Cel. José Carlos Moreira, Paulino Padilha e João Antonio Hassel, oriundos a Sociedade Musical Miracemense. 1898 – É organizado o quadro de músicos e de sócios, sob a presidência de Ricardo Barroso secretariado por Francisco da Silveira Leal, tendo como maestro João Paes. 1911 – É aprovado um novo estatuto que segundo o artigo 53 só poderia sofrer modificações a partir de 1930. 1913 – Morre João da Silva Paes, regente e redator dos estatutos da Sociedade. 05/01/1914 – A Sociedade Musical XV de Novembro sai às ruas executando um dobrado intitulado “João Paes” pertencente ao arquivo da Sete, rompendo um acordo de cavalheiros feito entre seus presidentes. 11/01/1914 – Renunciam Salvador Ciuffo, José da Silva Padilha e Antero Perlingeiro, presidente, tesoureiro e membro do Conselho Fiscal respectivamente. 1914 – Nilo Peçanha visita Miracema em campanha presidencial e é recebido na Estação da Leopoldina pelas duas corporações. 1914 – Em reunião convocada por Cândido Dias Tostes é proposta a redução dos vencimentos do maestro Francisco Duchesne em 50 mil réis até que melhorasse a situação financeira da Sociedade. 1915 - Francisco Duchesne solicita sua exoneração de regente da banda, aceita por toda a diretoria. 1915 – Por sugestão de José Alvim Tostes a diretoria anterior e a empossada ratearam uma dívida de duzentos e noventa e cinco mil e oitocentos réis. 1916 – Com a crescente inadimplência, foi assinado compromisso entre diretores e sócios para o pagamento dos vencimentos regente. 1917 – Firmado compromisso entre os diretores, cada um contribuindo com 5000 réis mensais para remuneração do maestro. 11/05/1918 - Lavrada a escritura de permuta da sede social pelo Cinema São Salvador, na Rua Francisco Procópio 5, pertencente a Salvador Ciuffo. 26/05/1918 – É realizada a primeira sessão com o nome de “Cine Theatro Sete de Setembro”. 22/08/1918 – Realizada a primeira reunião na sede da Rua Francisco Procópio. 15/12/1918 – É contratado a Salvador Ciuffo, pela importância de cinco mil réis mensais o abastecimento de água. 1921 – A diretoria delibera que a arrecadação das sessões das segundas-feiras será rateada entre os músicos que tocarem durante as exibições cinematográficas. 07/09/1924 – Eleita a primeira Diretoria Auxiliar, composta por senhoras; arrendamento do cinema; novo fardamento para a corporação musical. 1926 – Firmado contrato com a Universal Pictures. Outubro/1929 – Estréia no palco da Sete a “Companhia Theatral Artista Reunidos” com Dulcina de Moraes e Conchita Bernard. 1929 - Iniciada a construção da atual sede, sob a presidência de Diógenes Garcia Bastos, concluída na presidência de Christiano Alves Rodrigues, projeto do construtor português José Antonio de Almeida. 1930 - Inaugurado o cinema falado. 1931 - Inaugurada a “Biblioteca Popular Independência” (doada ao município em 1941). 1944 – Estréia a “Cia. Delorges de Teatro”, dirigida pelo astro da comédia brasileira Delorges Caminha. 1953 - Criado o “Conjunto Musical Miracema”, da Sociedade Sete de Setembro, dirigido pelos irmãos Garcia. 1956 - Eleita Maria Aparecida Franco para representar a Sociedade, no disputado concurso de rainha do Tiro de Guerra 217. 02/01/1995 – Através do Decreto nº 349, de 2 de janeiro, a Sete teve a sua fachada tombada como patrimônio histórico da cidade. 30/10/1997 – Criada pela Lei 660 a Escola de Música Sete de Setembro, em parceria com a Prefeitura. Em mais de um século de existência (fundada em 1898), passaram pelos bancos da Sociedade Musical Sete de Setembro diversas gerações de músicos de Miracema. Querida pelos moradores do município, a Sociedade foi reconhecida em 2008 como Patrimônio Cultural do Estado do Rio de Janeiro. Seu atual presidente Hércules Estephanelli do prado, seu atual maestro Renan Soares, contendo 29 músicos e 45 alunos, a Sociedade Musical 07 de Setembro, Miracema-rj, fica situada a Rua francisco procópio n° 49, Bairro centro.

Ver mais
Ver mais

Playlist do artista

Miracema Cidade

O Lamento de Israel

Miracema cidade

Ver mais
×

Baixe o aplicativo do DDM

Com o aplicativo do evento fica mais fácil de acompanhar os shows próximos a você.

Dúvidas/FAQ